LINK JM HOJE

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

A IMPORTÂNCIA DO ARQUITETO


Qual a importância do arquiteto?

Sua importância está na habilidade que ele desenvolveu no sentido de criar espaços adequados às várias atividades que os seres humanos realizam ao longo de suas vidas.

Um espaço adequado é aquele que possui dimensões aptas à função que o ambiente serve; é aquele onde a luz e a cor dos vários materiais que o compõem colaboram para sua eficiência; onde as próprias superfícies dos elementos, em suas texturas, despertam uma sensação agradável tanto visual quanto ao tato; a temperatura do espaço, a qual pode ser controlada não só pela escolha dos materiais construtivos como pelo uso de plantas, que amenizam o calor e embelezam o lugar, também é fator contributivo. Até mesmo os odores e o som devem ser levados em consideração e podem ser de antemão planejados pelo arquiteto.


Desta forma, o papel deste profissional é seguramente de fundamental importância para a sociedade, pois em suas mãos está a missão de criar os “cenários” onde transcorrerão as várias ações humanas, desde o nascimento, sendo ele o projetista de maternidades, até a morte, como o idealizador de mausoléus. Entre estes dois momentos, o arquiteto produzirá as escolas para a educação, as praças e shoppings para o lazer e recreação, os ginásios para a prática esportiva e até mesmo os restaurantes e motéis para os momentos românticos.

Não há como negar o valor do arquiteto, o qual vem sendo confirmado desde os tempos mais remotos, primeiramente apenas como funcionário dos reis e nobres, como Inhotep o foi do faraó Zosér e Ledoux do rei Luis XVI. Há cerca de um século, estes profissionais têm se dedicado mais a outros grupos da população, embora ainda se perceba que muito falta para que os arquitetos alcancem um maior contato com os cidadãos financeiramente mais carentes.

Além de criar espaços internos adequados, o arquiteto também tem como meta a elaboração de edifícios cujo volume desperte a atenção das pessoas por causa de seu formato e das relações de proporção entre os elementos que o constituem. Janelas, portas, vigas, pilares, etc. devem se unir formando um todo harmônico que leva a edificação a assumir o papel não de simples construção, mas de obra de arte, ou como diria Goethe, música congelada.

O papel do arquiteto, pelo que foi descrito acima, é muito importante, afinal de contas, apesar do meio onde as pessoas vivem não ser o único fator que as mude qualitativamente, posto que isto também é fruto de seus próprios esforços, não se pode negar a influência que os espaços bem projetados exercem sobre tal melhoria do ser humano e sua vida.

André Souza.

Este artigo serviu como material de divulgação da loja Flamma Luminárias em 2005.
FONTE: SITE ISTMO ARQUITETURA

Nenhum comentário:

Postar um comentário